Capítulo 1

Previsão do tempo para hoje, pouca ventania e aos poucos a tempestade vai passando.

Isso mesmo, tempestade, já se faz um mês que esse furação/tempestade vem me atingindo, essa semana foi aquela parte final da tormenta que parecia que tinha acabado, mas derrepente vem aquele vendaval que arrasa com tudo, esse foi minha semana, até terça de tarde eu estava 100%, depois de uma ligação dela, tudo foi devastado, acabou comigo, não consegui mais trabalhar, não treinei, mal conseguia pensar… Tive que ser forte enfrentar a tempestade, liguei para ela e conversei, definitivamente dei um ponto final na história, mas mesmo assim depois ainda me sinto meio triste, abatido e comendo bem …

Essa é minha versão da história né, mas lógico que entendo o que passou e passa com ela, ela é muito sentimental, vive pela emoção, com a vida nova que está passando novas atividades, estresses, trabalho novo, logicamente o coração senti, eu que era uma pessoa que estava sempre ali dando atenção, carinho e total ajuda, não estava lá, por isso que ela me ligou, se sentiu sozinha, precisava de um ombro amigo para chorar, falar e não tinha ninguém; ela sempre foi difícil de compartilhar sentimentos, apesar de toda emoção, sinto que terá mais dessa recaídas por aí, mas eu espero me sair bem nessa. Agora ela está na praia andando de bike se divertindo e relaxando, espero que fique bem… Aperta um ciúmes, lógico, mas fazer o que…. Só quero o melhor para ela, torço muito por ela, fez muito por mim, o mínimo que deveria fazer.

Então, voltando ao título ‘capítulo 1’, estava eu indo a pé cortar meu cabelo e pensando em mim, isso é uma coisa que tenho que fazer demais daqui para frente. Minha nova meta de vida, guardar o máximo de dinheiro que puder, pois só assim poderei fazer minhas coisinhas, estão sendo meus melhores pensamentos, pois vejo pessoas que terminam um relacionamento, eles só querem trepar, beber e fazer merda, acho que não é por aí, tenho que pensar mais em mim. Depois dá mensagem que recebi de minha amiga Dani, me elogiando, dizendo que sempre adimirou minha luta diária, a forma que eu encaro as dificuldades e sempre acabo com um sorriso, isso me animou bastante, guardarei todas as palavras dela comigo, não foi só um alimento para o ego, mas uma motivação e uma visão que as vezes nós não temos de nós. A Jéssica (ex) sempre me disse praticamente as mesmas palavras que a Dani, mas ouvir de uma outra pessoa que é linda, Sargento da Aeronaltica é muito bem sucedida, não tem preço.

E assim começa minha vida nova, parece dramática para apenas uma separação, mas é melhor que fazer merda por aí.

Minha vida está, anotando no meu caderninho tudo que eu gasto, minhas despesas, o quanto juntar, no que gastar e fazendo planos, estou com muitos planos, meu quarto estará pronto em um mês e logo terei meu lugar para descansar e ficar comigo, tudo que passo agora é um ensinamento, encaro dessa forma e quero usar de forma segura e certa e não ser um cuzão e agir como “sou foda, venci e posso pisar em quem eu quiser”, não quero continuar sendo essa pessoa que eu sou, mostrar que fazer o bem, colher o bem, sofrer faz parte e com ele rimos no final.

“Somos Heróis”

?

Sabe aquela hora que você não sabe o que pensar; o que fazer; como aconteceu; se está agindo certo…

Eu tento ser apenas uma pessoa boa, mas para que preciso mostrar que sou bom, se já disse que sou, realmente tenho sinto que estou pressionando, eu ainda gosto, não tem como não ainda tentar mostrar ser bom…

Acho que preciso de amigos novos, novas conversar e histórias, pois já estou de saco cheio de tudo, sempre os mesmos papos e nada que eu realmente queira fazer. Querendo ou não deixei de fazer muitas coisas que eu realmente gosto, sempre fiz por ela, ainda tem um vazio, “tempo ao tempo”, parece que o tempo não passa, minha cabeça vive pensando num futuro bom, mas o conciente, o que manda mais vem sempre pregando uma peça, ainda não aprendi a viver sozinho; “Tá foda!”. Isso é o que realmente sinto, procurando a beleza em tudo, estou realmente positivo, ainda corro, nado, malho … Não parei de fazer nada, mas e o medo… Profissionalmente, o país também tá foda, tenho medo de arriscar, prefiro ficar na minha zona de conforto, já perdi quem eu amo, amava … Sei lá …

Agora é reaprender!

Sentimento sincero.

Sabe aquele momento que você acha que encontrou a pessoa certa e que essa pessoa vai ser sua para sempre… Beeeeeeeh, enganado ela não vai ser sua!

Por anos passei procurando a pessoal que seria a mulher da minha vida, sempre fui frustado no amor, nunca tinha ficado com alguém que eu tinha gostado, procurava em vários lugares, imaginava histórias de amor com cada mulher que eu via. Calma, não sou tarado, apenas via uma pessoa no ônibus, trem, balada e etc, analisava o perfil da pessoa e usava meu imaginário, como seria minha vida com aquela pessoa, sempre achei um ótimo exercício para mente, pois criava situações baseadas em histórias que amigos ou desconhecidos me contam, então, minha imaginação comia solto.

Vai fazer duas semanas que terminei meu namoro de 3 anos e meio, foi de forma totalmente civilizado e amigável, ainda conversamos, pois temos alguns assuntos, ela me ajuda bastante, pois tenho um certo problema com baixa estima. 

Um certo dia percebi que ela não estava bem, fiquei incomodado com aquilo, tentei ajudar, minha ajuda de no “preciso de espaço” e depois “vamos terminar”. Cara, no “preciso de espaço”, foram três dias que eu mais senti dor na minha vida, nunca tinha chorado por amor, sentido dor e pensado tanto no que fazer, foi o dispertar do meu lado mais humano. Lógico, dei o espaço, pensava em todas as saídas possíveis, procurava respostas e soluções, pensei muito no que ela me disse:

“Eu tenho medo do futuro, não sei se estou preparada, tem muitas coisas que gostaria de fazer, saudade da minha liberdade, sair e fazer o que quero sem dar justificativa… ”

Cara, essas palavras ficaram me martelando, confesso que ainda martela. Eu pensava, por que eu prenderia uma pessoa que viver? Será que se ficassemos juntos ela se sentiria livre? Como poderia ajudar?

Final das contas, ajudei ela deixando-a livre, ela realmente não se sentiria livre comigo, sim, seria muito egoísta dá minha parte não deixa-la viver, eu já vivi muito, fiz muitas coisas por não ser preso a ninguém, respeito totalmente o que ela senti, o amor que eu sinto por ela me deixou fazer isso, tomar essa decisão de deixa-la seguir o caminho dela. Familiares e amigos não se conformam, apesar que apenas meus pais e os pais dela e alguns amigos saberem do nosso termino, descrição total, assim é bem melhor. Ficam contestando, dando opinião que dá para dar um jeito nisso, que estamos fazendo preciptadamente, que devemos tentar. Amiguinhos, não é assim, ver de fora é muito fácil, agora se ponha na nossa pele, será que vocês sairiam bem com esse atropelo, pois me senti como se tivesse sido atropelado por um caminhão. No relacionamento apenas o casal pode escolher o que será melhor e só o tempo trará a notícia de como será o futuro. Esse foi o veredito, terminamos, cada um segue sua vida e sua liberdade.

Se um dia voltaremos não sei!
Ps: Gostaria que ela pudesse ler isso, ficaria orgulhosa de mim.

“Somos Heróis”, TM

Corrida para mudar!

Incomodo, dificuldade para respirar, ocupando muito espaço.

Isso era eu a 7 meses atrás, eu pesava 112 kgs, barbudo (ainda sou barbudo). Assim, sempre fui gordinho, sempre batia forte nos pratos nunca perdoei, pão é minha eterna paixão, falam assim, ” você ama massa”, sim adoro massa, mas pão totalmente apaixonado. Certa vez quando morava no Japão, fui a uma churrascaria chamada “Primavera”, lugar nostálgico, ir lá era estar no Brasil, escutava pessoas falando português, era mal atendido e comia comida brasileira, voltando à história. Estava eu e meus amigos, pedimos rodízio de carne e quando fomos nos servir naquela típica cuba de self service, lá estava, uma bowl cheio de pão de queijo, resumo da história, não comi carne carne aquele dia. Um pouco mais para trás na minha infância, não foi a das mais fáceis, passei um pouco de dificuldade, devido a isso o pão foi minha alegria, comia muito pão era mais barato e me nutria bastante, enfim, pão minha alegria meu amor.

Com todos os abusos de comida e bebida cheguei aos 112 quilos como disse a cima, cheguei ao ponto de ficar triste com a minha situação, tinha pena da Jessica (ex namorada, grande amiga até agora), suava muito, roncava e gastava muito dinheiro abusos da gula, vida sofrida.

Um certo dia decidi procurar ajuda, com o apoio da Jessica, fui a procura de uma nutricionista, minha linda mãe me indicou a irmã da professora de ginástica dela, Elisângela é o nome dá peça, essa é a salvadora da pátria. Meus exames eram péssimos, segundo a Elisângela, estava perto do fim, muito perto de um problema muito sério, colesterol com a marcação XXX, sim, não tinha marcação de tão alto que estava… O detalhe dá dieta falarei em outro post…

Apesar de ter perdido 10 quilos só com a alimentação, eu precisava de mais, exercícios é que eu precisava. Nunca fui preguiçoso, desde pequeno muito ativo, só que não podemos negar, 112 kgs, sedentário, atividade única era comer. Precisa de uma atividade física, uma que gastaria muito pouco quase nada de grana pois sou pobre kkkk. Comecei a caminhar, era inverno, todas as oportunidades para desistir eu tive, mas como adorador de desafios continuei, afobado que sou, pensei, “por que não correr”, e corri! Caminhava 2k, nesses 2k trotava 30 metros, minha respiração parecia uma pessoa tendo crise de asma, horrível, fadigava demais, mas esses 30 metros foram dobrando, até uma certo dia corri 2k sem parar, isso foi me dando um tesão a cada corrida não oficial, até hoje não parei, já foram quase 10 corridas oficiais, todas correndo 10k com muita felicidade.

Vamos aos números, em 7 meses, perdi 40kgs, agora pesando 72 kgs, corro 10k tranquilamente, meu recorde é 10k em 57 minutos. Agora treinando para os 21k!

Minha felicidade é correr, na corrida encontro paz e liberdade, quase impossível achar duas coisas numa coisa só, que profundo.

Essa foi uma breve história dos meus últimos 8 meses, essa pequena introdução do que virá.